Tag Archives: Fotos do Rio Piracicaba

Mais um lindo passeio pelo Tanquã

Nesta mesma época no ano passado eu organizei uma descida de barco de Piracicaba até o Tanquã e regresso. Em 2011 o grupo formado era praticamente pelos “Amigos da Fotografia”. Quem nos levou de barco é o conhecido e popular Gordo que presta serviços todos os sábados, domingos e feriamos levando turistas que visitam o nosso rio para passeios. Ainda falando do passeio de 2011, ele me rendeu um primeiro lugar no concurso fotográfico promovido pelo consórcio dos rios Piracicaba, Capivari, Jundiaí. Com problemas para formar um grupo para esta segunda descida de barco eu acabei combinando com meus irmãos e lá fomos. Foi um passeio em família que contou com minha irmã Rita e meus sobrinhos Andreas e Paula, meu filho Kiko, meus irmãos Marta, Carlos ABC e Arnaldo. O convidados especiais foi o meu amigo Benites e o parceiro do meu irmão Carlos o conhecido Nil.

Saímos às seis horas da manhã e vimos o amanhecer em cima do barco começando a descer o rio rumo ao Tanquã. Foi muito lindo ver os primeiros raios de sol cortar a neblina que dominava o leito do Rio Piracicaba. Como sempre faço eu produzi uma galeria com as fotos do ensaio. Veja abaixo…

Clique aqui para entrar na Galeria de Fotos…

Na foto de cima:Família ABCs no passeio agregados de Benites e Nil… Foto Benites. Na foto de baixo: ainda bem cedinho, frio, bebendo vinho branco para esquentar no barco do Gordo… Foto Kiko Camargo.

Dia do Trabalho: Mais fotos do nosso maravilhoso Rio Piracicaba

Algumas pessoas me dizem que acabam acostumando com as belezas das suas terras e passam a não dar mais tanto valor a elas. Pode ser verdade para a maioria, mas isso não é uma regra que se aplica a minha pessoa. Digo isso porque amo minha cidade, gosto de cada canto, de cada lugar, dos nossos costumes, da índole trabalhadora. Para mim o ponto alto da minha querida Piracicaba é o rio. O “lugar onde o peixe para” consegue me transmitir energia, revela a força da natureza com as águas rolando abaixo e provocando uma sinfonia de estrondos e chiados que nos fazem acordar para a vida. Passar alguns minutos ou horas junto ao salto do Rio Piracicaba é um prêmio.

O melhor de tudo isso: a natureza produziu este lugar e o custo para apreciarmos é zero. Quem disse que para se sentir bem e aproveitar a vida só gastando muito dinheiro. Como uma benção o rio nos energiza para seguir na caminhada desta odisseia que é a vida.

Estive lá… Mais uma vez… Vou voltar… Espero muitas vezes… Melhor ainda, estive na presença de amigos queridos, que estavam fazendo o que mais nos aproxima: fotografando. Maule, Aristeu, Marco Romano, Nascimento, Benites, Marcelo e eu estávamos lá clicando e felizes. Eu procurei como mais alguns dos amigos, realizar fotos de longa exposição… Procurar deixar a água leitosa, destacar as pedras e a vegetação. Fotografei um pouco de tudo: algumas imagens mais abertas e outros detalhes que me chamaram a atenção. Confira abaixo nas imagens que postei, basta clicar em cima da imagem em miniatura para ver a imagem ampliada…

Fotos de final de tarde do Rio Piracicaba longa exposição

Nesta quarta-feira, dia 25 de abril de 2012, no finalzinho da tarde eu e o meu companheiro Marcelo Libardi resolvemos dar um “pulinho” no Engenho Central junto ao Rio Piracicaba para realizarmos algumas fotos usando longa exposição.

Veja abaixo o resultado clicando nas fotos em miniaturas para ver em tamanho maior…

                

SAIDINHA ABORTADA E UMA VONTADE IMENSA DE CLICAR…

Nesta quarta-feira, dia 31 de agosto, tínhamos uma saída fotográfica marcada para a cidade de São Carlo, onde faríamos uma visita a Fazenda Conde do Pinhal e depois ao Parque Ecológico da cidade. Benites, Nascimento, Monica e eu, sairíamos as 9:00 horas da manhã, só que logo pela manhã quando acordamos existia uma chuva intensa caindo em Piracicaba. Tudo cinza, muita água caindo e o resultado disso: cancelamos a nossa saída.

O clima esfriou e o tempo seguiu todo dia carrancudo… Recebi em minha casa o Benites, fizemos alguns trabalhos e eu o convidei para ir ao Rio Piracicaba para fazermos algumas fotos. A vontade de clicar era tanto que eu parecia um viciado em abstinência do uso da droga quando fica todo ansioso e desesperado por conseguir o que precisa. No meu caso, claro: fotos. Porque o rio Piracicaba? O mais próximo da gente e eu queria testar o meu filtro ND16x que escurece a entrada da luz pela lente. Para que serve isso? Para poder tirar fotos de longa exposição, deixar o obturador aberto e exposto a imagem a ser capturada. O que? Sabe aquelas fotos que as luzes aparecem como se fossem uma cobra cortando as avenidas ou a água que parece leitosa, então este filtro ajuda a fazer isso. Pronto agora já sabe o que é o resto não importa… De tripé, câmera e lentes na mão, lá fomos atrás das fotos, mas a umidade, frio e vento não ajudaram em nada não.

Fizemos fotos do Véu da Noiva, depois da Ponte Pênsil, depois da Casa do Povoador e caímos fora porque estava escurecendo rápido e o frio aumentando muito. Você pode ver algumas das fotos dos cliques que realizei hoje na mini-galeria que foi criada.

 Clique aqui para ver a mini – galeria de fotos…

SAÍDA E PASSEIO DE BARCO PELO RIO PIRACICABA: TANQUÃ

Durante toda a minha vida, desde criança, eu escutava as pessoas falando de um lugar especial que ficava alguns quilômetros descendo o Rio Piracicaba: Tanquã. Que esse lugar tinha muitos peixes e tinha um visual incrível, que você sentia a força da natureza, tinha muitos pássaros…
No ano passado eu fiz contato com o Gordo (assim mesmo que ele gosta de ser chamado…) que tem um barco e presta serviços no Rio Piracicaba. Depois levei a ideia aos “amigos” para que pudéssemos programar um passeio que nos levaria de Piracicaba até o tal Tanquã. Como a maioria dos “amigos” trabalha durante a semana e o Gordo só poderia fazer este passeio em dias de semana não conseguimos concretizar o passeio…

Comecei a organizar com Benites e Nascimento saidinhas de meio de semana, sempre as quartas-feiras… Numa de nossas reuniões de trabalho do grupo Amigos da Fotografia a Gi mostrou interesse de fazer uma saidinha com o nosso grupo: “eu estou querendo ser convidada a fazer uma destas saídas que vocês fazem e dia 13 de julho eu vou estar de férias”. Disse a Gi. A Isa que estava na reunião também emendou: “Eu fiz uma saída com eles e foi sensacional quero fazer novamente”. Eu aproveitei a deixa das duas sugerindo o Passeio ao Tanquã. A euforia com a ideia tomou conta da Gi e da Isa… Foi assim que conseguimos formar um grupo para o passeio. Minha irmã que vive na Suíça estaria no Brasil e desta forma teríamos um grupo mínimo para fazer o passeio. Finalmente o grupo ficou formado por: Gi e sua mãe, Isa, Marcio Galzerani, Benites, minha irmã Rita e seus filhos Paula e Andreas e eu.

Chegou o dia: Marcamos para o dia 13 de julho de 2011. Por causa da vazão do Rio Piracicaba que está muito baixa o barco do Gordo não poderia sair do Centro de Piracicaba. Eu sugeri que saíssemos de Artemis ou do Condomínio Colinas do Piracicaba (onde tenho uma casa) e de imediato a sugestão foi aceita.
Fomos até o Colinas para a saída às 7:30 horas e quando cheguei já estavam lá Isa, Benites, Gi e sua mãe. No meu carro estavam minha irmã seus filhos e o Marcio Galzerani. O Gordo estava colocando seu barco na água e em poucos minutos saímos rio abaixo… Está um pouco frio, mas com o andar do banco o vento chegou há incomodar um pouco… O pior foi o  Galzerani que não levou um agasalho para frio…

O barco do Gordo descia o rio suavemente enquanto o sol da manhã nos alegrava… Passávamos pelo caminho por barcaças que extraem areia do rio e pudemos notar nos primeiros 10 quilômetros da descida do rio (mais ou menos) que havia muitos saquinhos plásticos presos nas árvores e galhos a beiro do rio. Uma imagem horrível e triste prova clara de que não respeitamos a natureza e não nos importamos com o amanhã… Os sacos plásticos pareciam ter brotado como frutos das árvores, isto porque eles vieram com as enchentes recentes do Rio Piracicaba e acabaram sendo afixados nos galhos… Quando o Rio abaixou os saquinhos ficaram em partes altas das árvores. Até fiz umas fotos dos saquinhos, mas acabei não colocando nenhuma delas na galeria final…

Meus sobrinhos suíços ficaram chocados com a imagem dos saquinhos… Felizmente alguns quilômetros depois tudo começou a mudar para melhor. Aos poucos as aves surgiam nas árvores, voavam sobre o leito do rio dando um show a parte contrastando com o brilho do sol e um verde exuberante que brotava mais e mais nas duas margens do rio…
Uauuu… Lindo… Que lugar maravilhoso… Todos começaram a se encantar com a paisagem que realmente era linda… Cliques das câmeras por toda parte: o pessoal não deixou por menos e quis capturar aquelas paisagens e momentos sensacionais…
Na parte de traz do barco imponente estava o tagarela e orgulhoso Gordo. Se não tivesse nascido deveria ter sido inventado. Típico amante do rio Piracicaba e da natureza… Um piracicabano com “P” maiúsculo. De boca cheia ele falava sobre as matas… Dos ranchos e barcaças que extraem areia, protestava contra os crimes ambientais e com as pessoas que não respeitam o rio. Foram alguns quilômetros inesquecíveis pela beleza do lugar, mas não acabou não… De repente o Gordo desliga o motor e deixa o barco entrar numa estreita vertente de água (me parece que do Rio Vermelho que vem do Paredão Vermelho…). O barco do Gordo só conseguiu entrar alguns poucos metros neste lugar porque o caminho era muito estreito…

Algumas árvores e vegetação, além do estremo silêncio, faziam daquele lugar algo encantador… Quem ama a natureza não pode resistir aquele lugar e beleza impar… Novamente todos: nossa, incrível, que lugar maravilhoso… Cliques por todo lado, muitos comentários a respeito do lugar e no olhar de cada um de nós um sorriso e uma paz marcantes…
Seguimos rio abaixo e depois de alguns minutos a paisagem começou a mudar… O rio se abriu, parecia que tínhamos chegado numa represa e aumentou muito o número de aves e animais que avistávamos. O Gordo parou bem perto de uns Bufalos que são criados numa fazenda a beira da água… Quem diria que eu avistaria Búfalos neste passeio, incrível: disse uma repórter da Gazeta de Piracicaba (desculpe eu esqueci o nome dela, mas quem me conhece sabe que nomes para mim é assim mesmo…) que estava conosco para fazer uma reportagem do passeio oferecido pelo Gordo.

Banco que segue viagem e a paisagem lembra algo do Pantanal… Talvez por isso que alguns chamam o Tanquã de mini – pantanal.
Olhando para o meu relógio pude perceber que era meio dia e a fome começava a apertar. Imagine que foram 4 horas rio abaixo…
Entrecortando os aguapés o Gordo acelerou mais seu barco para chegar à sua Chácara (ponto final da descida e á no Tanquã).  De longe ele soava a buzina do barco dando sinais ao pessoal da chácara que estávamos chegando… Chegando lá fomos recebidos pelo pessoal do local com muita simpatia e presteza.
A chácara do Gordo é linda e conta com: piscina, quiosques, ampla área verde e cozinha industrial, tudo muito bem montado para dar conforme…
Alguns minutos depois da chegada a comida foi liberada: cuscuz de peixe, iscas de peixe, arroz, feijão, saladas, pernil de porco, comida tipicamente familiar e a base de peixes. Não faltou depois a sobremesa que as mulheres da viagem até foram pedir as receitas…
Descansamos quase duas horas e regressamos ao barco para subir de volta o rio Piracicaba.
Regressando todos nós permanecemos a maior parte do tempo em silencio: não sei se estavam calmos de felicidade, se alguns estavam orando e agradecendo a Deus por aquele dia ou ainda se estavam apenas curtindo a bela paisagem com o sol de fim de tarde batendo nos nossos rostos. Eu posso dizer que agradeci a Deus pelo dia lindo…
Na volta, a nosso pedido (já que tínhamos fotografado o que queríamos na vinda…), o Gordo acelerou seu barco e foi pouco mais de uma hora para chegarmos ao local da nossa saída.


Clique aqui para ver Galeria de Fotos da Saída e Passeio pelo Rio Piracicaba até o Tanquã…


TUDO ACABA EM FOTO…

Quando o assunto é sobre político tudo acaba em “pizza”. Quando o assunto é comigo tudo esta acabando em “foto”. Depois de fazer algumas tarefas da Fran TT na tarde desta segunda-feira, dia 6 de setembro, resolvi dar um pulo no antigo restaurante mirante e hoje SEDEMA (Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura de Piracicaba) para ver as fotos classificadas e que estão expostas do concurso “A Foto é o Bicho”. Antes de sair pensei que poderia dar alguns cliques e levei meu equipamento. Fiquei surpreso de ver que o local estava aberto… Entrei e dei uma boa olhada em todas as fotos. Saindo da exposição dei de cara com aquele nosso riozão lindo parcialmente banhado por uma luz amarela alaranjada. Tinha que dar uns cliques.
Quem pensa em tirar fotos hoje no parque do Mirante pode ir tranquilo porque tem policiamento em toda parte…
Tive muito pouco tempo para fotografar porque a luz estava indo embora, mas eu gostei de algumas fotos veja na galeria que criei…

Clique aqui para ver Galeria das Fotos…